sexta-feira, 6 de novembro de 2015

VULTO 25 - A trajetória de um lutador

Imaginar e sonhar… Ousar e lutar… Perseverar e realizar!
Verbos que, muitas vezes, levam décadas, muito trabalho e dedicação para traduzir a vida de um autor de quadrinhos independentes no Brasil, em especial quando seu estilo tem como base o gênero super-herói.
Para o mineiro de Belo Horizonte, Wellington Santos, imaginação e sonho tiveram ponto de partida o dia 20 de agosto de 1990 quando influenciado por personagens como Batman, Demolidor e Justiceiro, ele criou Vulto, um vigilante mascarado dotado de impiedosa mira certeira, implacável e, ao mesmo tempo, dono de um grande coração – um Superman sem poderes, mas armado até os dentes, pronto para dar a vida pelo que é justo e certo.
Wellington sempre gostou de quadrinhos e havia participado de alguns grupos dedicados produzir HQs, mas, com o tempo, as iniciativas debandaram… fato que não abalou a vontade do criador do Vulto. Decidido a se aprimorar antes de lançar a primeira aventura do personagem, ele produziu HQs do Vulto que chegaram a ter mais de 30 páginas e estas seriam publicadas no ano 2000, momento em que a ideia inicial para o combatente noturno do crime completava 10 anos. No entanto, na ocasião Wellington desistiu da produção, pois o personagem havia se transformado e não se parecia com o conceito concebido tempos atrás.
2005 foi o momento de realizar. Com o lançamento de Vulto O Vigilante, HQ de 88 páginas narrando a origem do personagem, Wellington ousou e lutou contra um mercado que, tipicamente, não favorece a produção nacional e diz não há autores e personagens. A edição foi lançada exatamente no 15º. aniversário de criação do Vulto durante os eventos da Semana de Arte promovida pelo Studio A4, escola de quadrinhos da capital mineira. Do sonho a luta e a realização, o personagem idealizado na década de 1990 finalmente iniciou sua trajetória maneira concreta e pujante.
A perseverança do autor ao longo dos 25 anos do personagem rendeu conquistas para ambos, como apoio da imprensa, a parceria com a editora SM/Júpiter II, que garantiu a publicação das edições seguintes das aventuras do vigilante, o contato e a consequente construção da amizade com outros autores, os convites para participação no Festival Internacional de Quadrinhos e para levar o Vulto para o selo Projeto Chroma após o fim das atividades da Júpiter e, sobretudo, o cativo do público leitor.
Em suas aventuras, Vulto caçou bandidos, derrubou cartéis criminosos, salvou a vida de
inúmeras pessoas durante a fúria de uma enchente, aliou-se a outros heróis, foi alvo de inimigos em busca de vingança, motivou outros guerreiros urbanos a lutarem contra o mal, viu surgir uma agente especial inspirada em seu plano de ação e agora celebra 25 anos de criação numa edição especial que traz a participação de autores renomados e estreantes. Segundo Wellington “o material ficou bacana e tanto os fãs do Vulto quanto aqueles que o conhecerão nesta edição ficarão satisfeitos e saberão tudo sobre ele através de uma ficha, resumo da origem e muitas aventuras curtas, pin-ups e texto explicativo”.
Lançada na Festcomix em São Paulo, a edição comemorativa de 25 anos chamou muita atenção e teve excelente atenção do público. Agora, chegou o momento de lançar a HQ na terra natal do personagem e a ocasião escolhida não poderia ser melhor. O autor estará no FIQ – Festival Internacional de Quadrinhos – que acontecerá em Belo Horizonte, entres os dias 11 a 15 de novembro. Vulto 25 e demais aventuras do personagem estarão a vendas no Projeto Chroma, que, na ocasião, garante de brinde o crossover Vulto e Corcel Negro.
Na galeria de imagens abaixo, o impulsivo leitor confere 25 artes, entre páginas e ilustrações, de momentos e personagens que compõe o Vultoverso.


                                                                                                                                                                                 Fonte: Impulso HQ

Nenhum comentário: