terça-feira, 31 de março de 2015

Projeto de financiamento coletivo pretende "dar vida" a dinossauros brasileiros

Foi lançado esta semana um projeto na plataforma de financiamento coletivo Kickante que visa resgatar uma parte da História de nosso país que boa parte da população talvez nem saiba que existe. Duvida disso?


Pode ser que a grande maioria das pessoas talvez nem imagine que foram encontrados diversos ossos de dinossauros no Brasil. E que essas ossadas são capazes de recriar o que um dia existiu há milhares de anos no território de nosso país. É difícil imaginar também o trabalho de classificar todos estes animais, dividi-los por Era Geológica, e todas as informações necessárias para a montagem de uma enciclopédia... Agora pense no trabalho de recriar alguns dos dinossauros virtualmente, com a opção de interação com o ambiente?? As duas últimas partes parecem futuristas demais? 
O projeto Dinossauros Brasileiros já realizou a primeira metade deste sonho: mensurar os dados sobre as criaturas, com base em pesquisas do experiente paleontólogo Fabiano Vidoi Iori. Também já criou uma pequena versão com um dinossauro virtual de realidade aumentada, como é possível ver no video abaixo. Porém, para o projeto ser finalizado e lançado de forma gratuita, seria necessária a quantia de R$ 275.000,00, que o criadores pretendem adquirir através de financiamento coletivo. Tendo como menor contribuição a quantia de R$ 20,00 (que dá direito a baixar primeiro o aplicativo e as imagens do tabuleiro gratuitamente pela internet) e a maior contribuição o apoio cultural no valor de R$ 45.000,00, voltado para empresas, que terão a logomarca veiculada no aplicativo. Os outros valores tem recompensas divertidas, como toy arts, pôsters, e a possibilidade de batizar um dinossauro. Clique para maiores detalhes


O projeto será divido em textos educativos, informações sobre museus, e a parte em 3D, com jogos; e possui muitos detalhes incríveis, tanto sobre o processo de criação (a equipe se compromete em entregar tudo pronto em quatro meses após o levantamento da quantia), quanto no levantamento das informações (é incrível perceber como já havia tanta vida em nosso território, mesmo antes do surgimento dos seres humanos e do conceito de "vida"), e claro, o potencial educativo de um projeto assim, que possibilita a jovens e adultos um nível de interação nunca antes imaginado com um dinossauro miniaturizado para caber na palma da mão, mas que reage a estímulos e pode andar, "falar" e até "dançar" em cima do mapa virtual, como um boneco virtual, que não quebra nem se desgasta com o tempo. 


Resumindo: Seria apenas mais uma enciclopédia digital, porém o "Dinossauros Brasileiros" tem um diferencial inédito: a recriação em realidade aumentada 3D de dez dinossauros. Muito útil para alunos, professores, pesquisadores, ou pais procurando uma diversão inteligente para os filhos. É possível se tornar realidade. Mas caso haja contribuições suficientes.  

sábado, 28 de março de 2015

3000 anos depois, de Mike Deodato Jr. e seu pai, será republicado neste ano

Mike Deodato Jr. começou a carreira ainda nos anos 1970, influenciado pelo seu pai, Deodato Borges, jornalista, radialista, roteirista e um dos primeiros quadrinhistas paraibanos, falecido no ano passado (saiba dos detalhes aqui).
Na década de 1980, os dois tiveram a oportunidade de trabalhar juntos na saga de ficção científica3000 anos depois e no didático A História da Paraíba em quadrinhos.
Agora, em 2015, 3000 anos depois será republicado pela Criativo Editora que, em 2013, também lançou a edição especial Mike Deodato Jr. – Sketchbook. A nova versão da história terá 64 páginas, talvez em capa dura (isso ainda será definido), e contará com uma arte de capa e duas páginas inéditas ilustradas pelo artista. O lançamento está programado para acontecer durante a Fest Comix, em data ainda a ser divulgada.
3000 anos depois, o primeiro álbum independente de Mike Deodato, mostra o futuro da humanidade destruída por uma guerra global enfrentando uma invasão alienígena. A obra traça um perfil de como, durante três milênios, o ser humano anseia pela paz mas, paradoxalmente, compartilha de um impulso que gera violência e guerra. Um conto de esperança e reconstrução.
Mike Deodato Jr.

Flash, Lanterna Verde e Arqueiro Verde também terão visuais diferentes


Na semana passada, você viu que o checklist de junho daDC Comics trouxe imagens apresentando Superman, Batman e Mulher-Maravilha com vestimentas diferentes
Mas eles não serão os únicos. As capas de Green Lantern # 41Flash # 41 e Green Arrow # 41 também revelam que esses heróis estrearão um visual diferente, apesar de as mudanças não serem tão drásticas. 
Hal Jordan, o Lanterna Verde, já vem sofrendo faz tempo nos quadrinhos. Depois de ser o principal personagem da DC por um longo período, graças ao trabalho de Geoff Johns, Hal começou a ter histórias cada vez mais repetitivas, já nas mãos de Johns. Quando o roteirista deixou o título, ao invés de uma melhora, houve uma enorme piora.
Agora, o personagem é pela milésima vez um renegado, está com um visual que pouco tem de novo, mais lembrando o período em que Hal foi o Espectro; e usa uma manopla ao invés de um anel energético.
Mudanças menos drásticas atingiram Flash Arqueiro Verde, que apenas se aproximaram mais de suas versões televisivas.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Morte nas Tartarugas Ninja!

A última edição de Teenage Mutant Ninja Turtles, da IDW, publicada semana passada nos Estados Unidos, chocou os fãs das Tartarugas Ninja.
Escrita por Tom Waltz e Kevin Eastman (cocriador dos personagens), a quarta parte do arco Attack on Technodrome culminou com a morte de Donatello.
A mais serena das Tartarugas Ninja perdeu a vida no quartel-general dos heróis, ao lutar sozinho contra  Bebop e Rocksteady, enquanto Leonardo, Raphael e Michelangelo confrontavam Krang nas ruas.
Desde que retornaram aos quadrinhos pela IDW, os personagens criados por Kevin Eastman e Peter Laird voltaram a protagonizar as histórias sombrias e violentas características de suas primeiras HQs, lançadas em 1984, e que ficaram mais leves a partir das séries de desenhos animados e filmes live-action.
A última página de Teenage Mutant Ninja Turtles # 44 (32 páginas, US$ 3.99) fala por si só.

Confira a programação do Festival Guia dos Quadrinhos nos dias 28 e 29 de março

Festival Guia dos Quadrinhos chega a sua nona edição e acontecerá na Associação Beneficente Osaka Naniwa Kai (Rua Domingos de Moraes, 1581, São Paulo/SP), nos dias 28 e 29 deste mês. A entrada custa R$ 10,00 e o ingresso para os dois dias, R$ 15,00.
Serão dois dias nos quais mais de 40 expositores ofertarão mangás, HQs, bonecos articulados, artigos colecionáveis, DVDs e camisetas, dentre outros. Além de novidades do mercado vendidas por preços com descontos, o público poderá encontrar raridades oferecidas por colecionadores.
Nos moldes dos tradicionais eventos de HQs em que o público se depara com seus ídolos comercializando diretamente seus trabalhos, os fãs e apreciadores da nona arte também poderão ter contato direto com vários autores, criadores e editores, como Laudo Ferreira, Sam Hart, Omar Viñole, Thiago Spyked, Eric Peleias, Flavio Luiz, Guilherme de Sousa, Luiz Augusto, Marvin Rodriguez, Gabriel Dantas Arrais, Marcos Dark, Paulo Cesar Santos, André Farias, André Freitas e André Alonso.
O quadrinhista Will (As Aventuras do Capitão Nemo, Monstros e Heróis, O Senhor das Histórias), criador da arte da “pulga” mascote da edição deste ano, é o homenageado do evento e terá uma exposição de originais de seus trabalhos. Outra exposição comemora os 80 anos da editora DC Comics, responsável por personagens como Superman, Batman e Mulher-Maravilha, com a história da empresa e curiosidades.
Palestras e debates também enriquecem a programação nos dois dias. No sábado,  às 12h, os artistas Will, Lilo Parra, Laudo Ferreira e o mediador Edson Rossatto falarão sobre o valor das adaptações de livros para os quadrinhos. Às 13h30min, um bate-papo com Carlos Edgard Herrero, um dos mais importantes desenhistas e roteiristas dos quadrinhos Disney no Brasil, que falará sobre sua extensa carreira, com participação dos convidados Paulo Maffia e Marcelo Alencar. Às 15h, ocorrerá o bate-papoPor que Precisamos do Superman?, com a participação dos convidados Thiago Cardim e Renan Martins, Levi Trindade e Gustavo Vicola. A repercussão do ataque terrorista aos chargistas do jornal francês Charlie Hebdo será tema do debate Há limite para o humor Gráfico?, com a participação de profissionais da área de quadrinhos e jornalismo Jal, Spacca e Luli Penna.
 No domingo, um bate-papo, às 15h, ensinará como cuidar de sua coleção de quadrinhos, com os especialistas Edson Diogo, Kendi Sakamoto e José Braga. As 16h30hmin, especialistas como Thiago Borbolla, Leonardo Vicente, Paulo Gustavo Pereira e Maurício Muniz falarão sobre O Ano Nerd no Cinema.
Para quem sabe tudo sobre cultura pop, haverá ainda o Quiz Nerd, que dará prêmios a quem acertar perguntas sobre cinema, quadrinhos, seriados de TV e literatura fantástica.


Fonte: Universo HQ

Ozzy Osbourne ganha biografia em quadrinhos

O Príncipe das Trevas do heavy metal tem sua história contada em quadrinhos na biografia Ozzy Osbourne: The Metal Madman, que a Bluewater Productions lançou semana passada, nos Estados Unidos.
Escrita por Michael L. Frizell e Jayfri Hashim (que também assina os desenhos) e com a capa ilustrada por Stefano Cardoselli, a edição narra a vida e a obra do artista que ocupa lugar de destaque no Rock And Roll Hall Of Fame, é um dos fundadores da banda Black Sabbath e tem uma longa e sólida carreira solo.
A versão impressa do gibi está disponível com exclusividade no Comic Flea Market e a digital pode ser baixada via  iTunes, Kindle, ComiXology, DriveThru Comics, Google Play, Madefire, My Digital Comics, Overdrive, Iverse, Biblioboard, Flipkart, Axis360, Epic!, Blio, Entitle,Comicblender.com, Indie Comic Tracker, Wheeler, Scoop, Nook, Kobo e e-books diversos. 
Fonte: Universo HQ

Ciclanos e Ciclanas busca colaboradores na plataforma Catarse

Pedro Hutsch Balboni criou o Joãos & Joanas no final de 2008 e, desde então, publica suas tirinhas de joaninhas na internet.
Em 2012, ele publicou seu primeiro livro. Na sequência, lançou Tudo já foi dito e Fulanos & Fulanas – este último é uma coletânea de 50 tirinhas do autor sendo reinterpretadas por 50 artistas.
Agora, ele está com nova campanha no site de financiamento coletivo Catarse, para viabilizar a publicação do livro Ciclanos & Ciclanas, que terá a participação de outros 50 artistas, dentre eles Alexandre Garcia da Silva, Ana Lu Medeiros, André Farias, Bianca Pinheiro, Brão Barbosa, Brum, Camilo Solano, Chairim, Clayton InLoco, Cris Peter, Cristina Eiko, Daniel Cramer, Eduardo Vetillo, Eric Peleias, Felipe Nunes, Felipe Saito, Flávio Luiz, Gabriel Arrais, Galvão Bertazzi, Garrocho, Glauber Lopes, Gual, João Rabello, Klebs, Laudo, Leo Finocchi, Leonardo Amaral, Lourenço Mutarelli Jr., Luciano Salles, Magenta King, Magno Costa, Marcos Venceslau, Max  Andrade, Mr. Gabriel Marques, Murilo Martins, Omar Viñole, Otoniel Oliveira, Paulo Neves, Rafael Koff, Raphael Salimena, Raul Muraldi, Rebeca Prado, Rogério Bessa, Ruis, Samantha Karlia, Thiago Spyked, Valter do Carmo Moreira, Verônica Saiki – Very e Wellington Diaz.
Confira outras informações sobre a campanha, as recompensas e como participar clicando aqui.
Fonte: Universo HQ

DOWNLOAD: O Cangaceiro #2


O Cangaceiro, personagem do Projeto HQ Selva Branca. Link para download: 

quarta-feira, 25 de março de 2015

ARMAGEDON SENSHI #6


CLIQUE NO LINK ABAIXO PARA LEITURA ON LINE!

Empresa brasileira busca desenvolver jogos de tabuleiro, cards e games


Um grupo de amigos estudiosos na área, e com grandes ideias para projetos resolvem se unir e criar um empreendimento: assim nasceu a EGGAMES, com a proposta de criar cards e jogos de tabuleiro baseados em histórias fantásticas e futuramente, transformá-los em games. Formada pelos estudantes de Design Gráfico Arnaldo Conceição e Pedro Conti, o programador Eduardo "TaToo" Beziaco, o estudante de História Wellington "HP" Cunha, e Audrey Mariano, desenhista e única menina do grupo. Ela explica como tudo começou:"Basicamente,eu e os meninos nos conhecemos há 3 anos atrás. Eles me ensinaram a abraçar e expandir meu lado nerd, conhecer novas coisas, inclusive RPG. Desde que nossa amizade se consolidou, passou a ser parte da nossa rotina e convivência estar rodeados de games. Consoles, MOBA's, tabuleiros,card games e RPG. Nós todos gostavamos de criar historias,personagens,heróis e jogarmosFoi então que resolvemos levar este gosto para a área profissional".
Tendo o apoio dos professores da faculdade de Design de Jogos, foi surgindo a ideia de um projeto mais sério. Assim os amigos decidiram formalizar a empresa, tendo dois jogos em fase de desenvolvimento, e um projeto quase finalizado, com possível comprador: um jogo de tabuleiro sobre o universo dos navios piratas. A foto acima é uma imagem de testes de criação com tabuleiro. Sobre o futuro, Audrey comenta: "Bom, a intenção seria trabalhar com jogos digitais também, além dos jogos de cards e tabuleiro. Mas isso custa dinheiro, porque precisaríamos de mais programadores. Queremos um ambiente próprio de trabalho, já que estamos todos trabalhando em casa". 
Para acompanhar as atividades da Eggames, basta curtir a fanpage no Facebook

segunda-feira, 23 de março de 2015

BLENQ, ASTRO & O GATO por Carlos Henry



Uma edição do PROJETO ENCONTROS, patrocinado pelo selo digital HQ Quadrinhos, sempre apoiando o Quadrinho Independente. Esta super-aventura foi escrita e desenhada pelo quadrinhista Carlos Henry e sua Equipe. A capa foi feita pelo artista Bruno Lima em parceria com Adriano Felix nas cores. A trama envolve os personagens BLENQ de Rod Gonzalez, ASTRO de Carlos Henry e O GATO de Lucchetti & Eugenio Colonnese, todos reunidos pelo CATALOGADOR de Lancelott Martins, mas, para conhecer melhor, cliquem no link do ISSUU acima e boa leitura!

Batman, Superman e Mulher-Maravilha surgem com novos uniformes

DC Comics começou a divulgar o checklist com os lançamentos de junho deste ano, o primeiro mês após o evento Convergence, com o qual a editora começará uma nova fase na sua linha de publicações.
As capas de Action Comics # 41Batman # 41Wonder Woman # 41Superman/Wonder Woman # 18 e Batman/Superman # 21 chamaram a atenção por mostrar os três principais super-heróis da editora usando novas vestimentas.
Batman surge com uma armadura azul, a Mulher-Maravilha com um traje de calças e mangas compridas (e lâminas saindo dos pulsos), enquanto o Superman está com camiseta, calça jeans e com a insígnia preta, uma variação da usada por ele no início da fase Novos 52, escrita por Grant Morrison. Veja mais informações sobre o futuro das revistas do Superman aqui.
É difícil saber exatamente do que se trata, já que até agora essas mudanças não foram explicadas e a sinopse das revistas traz poucos detalhes.
O curioso é que, na capa de Justice League # 41, os personagens aparecem com os uniformes normais, o que pode significar que as mudanças são para arcos de histórias específicos.

Veja a sinopse dos títulos:
Action Comics # 41 – O novo arco de histórias Truth (Verdade) começa. Para o Superman, não tem mais volta.
Batman # 41 – O novo Batman faz sua estreia. Quem ele é e o que acontecerá a seguir? Descubra aqui, com o início de uma nova era para Gotham City.
Wonder Woman # 41 – Uma ousada nova direção começa com a chegada de um novo vilão. Mas enquanto ele pode ser uma novidade para nós, não é surpresa para o mundo que quer domar. Falando em vilões, a busca de Donna Troy para destruir a Mulher-Maravilha atinge uma nova etapa, enquanto o jogo dos deuses traz um milagre sombrio para a Amazona.
Superman/Wonder Woman # 18 – A épica história Truth (Verdade) continua! Em meio à pressão, um relacionamento é testado.
Batman/Superman # 21 – A épica história Truth (Verdade) continua! Neste capítulo, quais as consequências quando a confiança é quebrada?

FONTE: Universo HQ

Capa de Rafael Albuquerque para Batgirl # 41 causa polêmica e é cancelada



Foi noticiado semana passada que a DC Comics publicará capas variantes homenageando o Coringa em diversas revistas do próximo mês de junho. Mas uma delas, ilustrada pelo brasileiro Rafael Albuquerque para Batgirl # 41, causou polêmica.
A imagem foi considerada ofensiva por alguns, afirmando que ela incentivava o abuso sexual e criou-se um debate em redes sociais e diversos sites. A arte, mais séria do que o atual conteúdo do título, fazia referência à clássica obra de Alan Moore e Brian Bolland, Batman – A Piada Mortal. Na história, lançada em 1988, o Coringa invade a casa do Comissário Gordon e atira em sua filha, Bárbara, deixando-a paralítica.
Ontem, a editora anunciou que o desenho não será mais publicado, a pedido do próprio Rafael Albuquerque.
“Minha capa variante da Batgirl foi criada para homenagear um quadrinho que eu admiro muito e sei que é uma das favoritas de muitos fãs. A Piada Mortalfaz parte do cânone da personagem e, artisticamente, não pude evitar retratar a traumática relação entre Bárbara Gordon e o Coringa”, declarou o artista.
“Para mim, era uma capa assustadora que trazia algo do passado da personagem. Mas, como ficou claro para outros, toquei em um ponto fraco. Eu respeito essas opiniões e, apesar de poder-se discutir se elas são certas ou erradas, nenhuma deve ser descreditada”, continuou.
“Minha intenção nunca foi machucar ninguém com minha arte. Por esta razão, recomendei à DC que a capa fosse cancelada. Estou muito feliz porque eles escutaram as minhas preocupações e não a publicarão em junho, como anunciado anteriormente”, encerrou Rafael.
DC Entertainment também se pronunciou sobre o fato.
“Nós publicamos quadrinhos sobre os maiores heróis do mundo e os mais malignos vilões imagináveis. As capas variantes do Coringa são uma celebração pelos 75 anos do personagem. Independentemente dos fãs terem gostado da homenagem do Rafael Albuquerque para A Piada Mortalgraphic novelpublicada há 25 anos, ou achá-la inconsistente com o atual conteúdo da revista, ameaças de violência são erradas e não podem encontrar lugar nos quadrinhos ou na sociedade. Nós apoiamos nossos talentos e, a pedido do Rafael, não publicaremos a capa”.
O escritor de Batgirl, Cameron Stewart, se manifestou pelo Twitter sobre o assunto.
“A capa não foi vista ou aprovada por ninguém da equipe criativa e é o oposto do que estamos fazendo na revista. Nós concordamos que a imagem era inapropriada. Não é censura. Se você está preocupado com integridade artística e visão criativa, é isso o que estamos fazendo. Mantendo a integridade de nossa revista intacta”, afirmou.
Respondendo aos leitores, ele completou. “Sou o escritor da revista e não quero aquele desenho no título. Defendo minha visão e minha integridade”. Mas afirmou que adoraria ver outra capa do Rafael com uma abordagem mais apropriada.

FONTE: Universo HQ

Garth Ennis de volta ao Justiceiro

O escritor Garth Ennis voltará a escrever sobre Frank Castle, personagem da Marvel Comics, mais conhecido como o Justiceiro.
A revista se chamará The Platoon (O Pelotão), será lançada pelo selo MAX e terá desenhos de Goran Parlov, um dos colaboradores de Ennis na série aclamada do Justiceiro.
O tema da HQ é o primeiro ano de Frank Castle na guerra do Vietnã, um tópico que o escritor já abordou outras vezes. Isso significa que, embora Castle seja o personagem central da revista, a história mostra sua vida antes de assumir a identidade de Justiceiro.
Segundo Ennis, o enredo de The Platoon começou a ser desenvolvido em 2013.

FONTE: Universo HQ

Sombras de Júlio Shimamoto‏


Sombras Especial, de Júlio Shimamoto. Parceria da Quadrante Sul Comics com a Atomic Editora. Reunião de HQs de Horror do mestre dos quadrinhos nacionais, Shimamoto, em técnicas artesanais de finalização. Inédito. 

64 páginas, formato 21x30, 
Capa 2 cores couche fosco 300g com prolan e miolo p&b offset 115g. 
R$ 30,00. Pedidos: 
Com Denilson Reis (inbox via Facebook) ou pelo e-mail (tchedenilson@gmail.com).

Morreu o desenhista Irwin Hasen


Irwin Hasen, desenhista da Era de Ouro, faleceu no dia 13 de março, em Manhattan, Nova York, nos Estados Unidos, aos 96 anos de idade, vítima de um ataque cardíaco.
Nascido em 18 de julho de 1918, ele começou sua carreira em 1940, desenhando HQs para o estúdio de Harry Chesler, incluindo The Green Hornet, The Fox, Secret Agent Z-2, Cat-Man, The Goldbergs eThe Flash. Entre 1941 e 1952, trabalhou para Sheldon Meyer, na DC Comics (que na época era aNational Comics).
Ele desenhou o Lanterna Verde e é o criador dos personagens Pantera (Wildcat), junto com Bill Finger; e Citizen Smith, o filho do Soldado Desconhecido. Durante a Segunda Guerra Mundial – após o ataque japonês a Pearl Harbour, em dezembro de 1941 –, Hasen atuou no exército estadunidense, como editor do Fort Dix Post, uma publicação militar daquele quartel, durante quase dois anos.
Após ser liberado do serviço militar, em 1946, ele retornou ao seu trabalho na DC Comics, ilustrando Flash, Lanterna Verde, Johnny Thunder e Sociedade da Justiça.
Entre 1955 e 1986, ele abandonou as revistas em quadrinhos para desenhar a tira diária Dondi, uma criação de Gus Edson, publicada em centenas de jornais dos Estados Unidos. Após a morte de Edson, em 1966, o autor passou a administrar a tira, junto com o colaborador Bob Oksner.
Hasen chegou a fazer uma ponta na adaptação cinematográfica de Dondi, um filme de 1961, estrelado por David Kory (como Dondi), David Janssen e Patti Page.
Dondi é um órfão de cinco anos de idade, encontrado por soldados estadunidenses num vilarejo italiano destruído, durante a Segunda Guerra Mundial.


FONTE: Universo HQ

sexta-feira, 20 de março de 2015

SUPER-HERÓIS DAS HQBs- BRASÃO VERDE


Se estiverem interessados em nos enviar seus trabalhos, entrem em contato conosco, através do e-mail: lynx_2811@hotmail.com e enviem suas tiras.

terça-feira, 17 de março de 2015

Marvel continua a avalanche de títulos das Guerras Secretas

Marvel Comics divulgou mais um título do selo Warzones, que faz parte do crossover Guerras Secretas.
Em junho deste ano, a editora publicará Captain Marvel and the Carol Corps, a nova revista da Capitã Marvel. Os roteiros serão de Kelly Sue Deconnick e Kelly Thompson. A arte será de David Lopez.
Na trama, os pilotos da força da Capitã Marvel defendem o Campo de Hala, uma das regiões do planeta Battleworld, contra as piores ameaças.

FONTE: Universo HQ

Resistente: autor busca colaboradores para viabilizar publicação de HQ

O Resistente é um personagem criado em 2012 pelo designer e quadrinhista Juliano Rocha.
Quando jovem, Eduardo Oliveira foi diagnosticado com uma doença incurável. Com seu filho desenganado pelos médicos e com a vida que lhe restava comprometida pela doença, seu pai, um cientista competente e famoso no tratamento com células-tronco, aplica em Eduardo o maior e mais revolucionário tratamento do gênero já realizado.
Porém, um acidente fez com que as células-tronco ficassem expostas à radiação por um pequeno período . O tratamento foi um sucesso e, após um longo período em coma induzido, Eduardo acorda completamente curado e com habilidades sobre-humanas.
O título está participando da plataforma colaborativa Catarse para viabilizar a impressão de uma revista contendo as duas primeiras edições, uma pequena história inédita e algumas artes de desenhistas convidados.
Confira as recompensas e participe clicando aqui - visite também o Facebook da HQ e o site do Resistente.

Superman: “O grande segredo será revelado”, afirma DC

No próximo mês de junho, a DC Comics iniciará uma nova fase de sua linha de publicações, que inclui a estreia de títulos, mudanças em diversas equipes criativas e uma abordagem diferente no conteúdo das revistas.
Uma das novidades que mais surpreendeu foi a contratação do quadrinhista independente Gene Luen Yang, vencedor do Eisner Award, para escrever a série mensal Superman. Os desenhos continuarão sendo de John Romita Jr. A estreia acontecerá na edição número 41, com o arco de histórias Truth(Verdade, em português).
 “O que acontecerá quando o grande segredo for revelado?”, pergunta a editora na sinopse da revista.
Gene Luen Yang conversou com o site Hero Complex sobre seus planos para o personagem e como enxerga o herói criado em 1938, um dos maiores símbolos dos quadrinhos norte-americanos.
“O perfil de imigrante é uma parte essencial do Superman e, da maneira que estou escrevendo, espero que o assunto se desenvolva organicamente. O personagem existe há quase 80 anos e passou por diferentes eras, em que variados aspectos de quem ele é foram enfatizados. Acredito que, no âmago dele, está a ideia da experiência de imigração. Os criadores eram dois jovens judeus imigrantes e eles incluíram na origem esse lado de ter duas culturas e tentar harmonizar esses dois lados de si mesmo, criando uma unidade. Espero que isso transpareça durante nossa narrativa”, explicou o autor.
De acordo com ele, outro ponto importante que abordará é o novo poder do herói.
“Esta nova habilidade essencialmente retira todos os superpoderes dele por um certo período de tempo após ser utilizado. Como isso o afetará? Além disso, vamos brincar com o conceito de dupla identidade que ele possui. Ele revelou o segredo para Jimmy Olsen e abordaremos esse aspecto. Queremos que esses dois pontos sejam centrais à medida em que avançarmos na série”, revelou.

FONTE: Universo HQ