quarta-feira, 21 de maio de 2014

Mestres do Underground

                                

O ano de 2013 nos brindou com dois projetos significativos para o Undergroud Nacional: Maldito Seja e Monstros dos Fanzines. Estas são duas séries que buscam resgatar a obra daqueles autores que sempre estiveram marginalizados das grandes mídias publicando seus quadrinhos nos mais diversos fanzines do Brasil e do mundo.
Não que os artistas focados nestas obras não tenham tido uma visibilidade ao longo de quase trinta anos de publicações, mas boa parte do material aqui compilado acabou sendo publicado em fanzines de baixíssimas tiragens.
Maldito Seja vem pelo selo da Ugra Press, capitaneado por Douglas Utescher, que tem produzido um belo catálogo de publicações independentes, além de abrir uma loja virtual especializada em publicações independentes e fanzines. Já Monstros dos Fanzines vêm pelo selo da Atomic Book, capitaneado por Marcos Freitas, fanzineiro do século passado, que retomou sua atividades em 2013, com o retorno do fanzine Quadritos.

A série Maldito Seja abriu com a publicação de dois artistas do Sul do Brasil: Henry Jaepelt (SC) e Law Tissot (RS). Ambos os desenhistas procuraram desde sempre apresentar uma atmosfera bem pessoal em seus quadrinhos. Henry Jaepelt é o artista que mais produziu quadrinhos para fanzines neste país. Dono de um traço fantástico e sem precedentes na arte mundial – difícil dizer que ele se inspirou em fulano ou beltrano – apresenta HQs com temática poética e de ficção científica de uma forma inédita. Cada quadro é uma verdadeira obra de arte.
Já Law Tissot mostra sua influência do movimento punk, misturado com a atmosfera de filmes como Mad Max e do rock pós-punk do Sigue Sigue Sputinik, criando o que podemos chamar de quadrinho cyberpunk.

A série Monstros dos Fanzines abriu com a publicação de dois artistas de grande relevância e importância no cenário dos fanzines dos anos 1980/1990 no Brasil: Joacy Jamys (MA) e Flávio Calazans (SP). Ambos os desenhistas foram e ainda são referências para a produção de quadrinho independente.
Joacy Jamys vem com uma obra póstuma, já que o artista faleceu em 2006, no auge de sua produção. Jamys incentivou boa parte do pessoal que começou a produzir quadrinhos nos anos 1990 com o lema do “faça você mesmo”. Seu trabalho gravita pelo undergroud, humor, ficção-científica e chegou a ser chamado do “Moebius brasileiro”. Muita saudade deste cara!
Já Flávio Calazans foi um dos idealizadores da Cooperativa Barata. Teve seus trabalhos publicados nos mais diversos fanzines do Brasil e abriu espaço para muita gente mostrar seus trabalhos no fanzine Barata, um dos mais clássicos do país.
Douglas Utescher e Marcos Freitas estão de parabéns pela iniciativa que, conforme os próprios editores já confirmaram, vem mais pela frente. Por enquanto, recomendo que não deixem de adquirir estas 4 pérolas do quadrinho underground nacional.


Ilustração: Henry Jaepelt (SC)

 

Nenhum comentário: