quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Um novo universo!

Por Lincoln Nery, extraído do QI 122

A verdade é que o quadrinho brasileiro não se firma porque não existe uma grande editora como DC ou Marvel por aqui. Uma editora que unificasse todos esses personagens num universo único, e que investisse pesado em publicidade, marketing e produtos derivados.
Faltam parcerias, não só dos quadrinhistas entre si, mas também com outros segmentos do mercado de entretenimento. Imagine um universo com o Jou Ventania e a Velta enfrentando Mirza! Ou o Capitão Ninja no maior "pau" com o Lagarto Negro? E ainda o retorno dos maiores heróis do passado como o Raio Negro, o Judoka, Capitão 7, o Vigilante Rodoviário, todos reformulados para os novos tempos?
Você acha que todos eles coexistindo, participando de megassagas não seria um sucesso? E essa editora ainda poderia ter um espaço para os personagens mais cômicos como o Ed Mort, Overman, pense nesses dois juntos. Ia ser no mínimo demais! Um Brasil nos gibis bem caracterizado com suas grandes metrópoles. Rio de Janeiro e São Paulo agindo como Nova Iorque nas revistas Marvel, e ainda cidades fictícias coexistindo com as reais. Futuros anternativos como o do Gralha e do Quebra-Queixo.
Claro que ícones como Batman, Homem-Aranha e Superman não seriam esquecidos, mas seria muito melhor termos um universo com personagens brasileiros, que passassem por problemas do nosso cotidiano.
Esses personagens, sendo bem escritos e com um boa divulgação, num universo único, coexistindo um com o outro, iam acender novamente o mercado, criando novas percepções.
Quadrinho nacional é a maior diversão!
E isso de dizer que o brasileiro acha besteira existir um super-herói sério, é grande idiotice! Existe espaço para todos os personagens. Eu, por exemplo, gostaria muito que o Brasil tivesse grandes heróis, que pelo menos na ficção seres mais poderosos pudessem nos salvar e tomar conta da gente: Símbolos que elevassem nossa fé ao ver as  tristezas que passam nos telejornais diariamente.
Você, quando vê traficantes aterrorizando o Rio, nunca imaginou alguém como o Batman acabando com isso? Ou alguém como o Superman salvando pessoas da seca? Problemas reais existem no mundo todo, inclusive nos Estados Unidos, como a tragédia do World Trade Center, mesmo assim, eles não deixaram de acreditar em seus heróis. Tanto que o filme do Homem-Aranha, lançado pouco depois, foi um sucesso.
Basta querer e imaginar. Essa é a única opção. quem sabe com gibis mais baratos e personagens até melhores que os americanos? Por que não? Eu não vou mudar de herói favorito, mas aceito levar um nacional e começar uma coleção, se for bom.

Nenhum comentário: