sexta-feira, 26 de abril de 2013

HQ: A HISTÓRIA DAS NOSSAS HISTÓRIAS

Entre os dias 11 e 25 de julho, será realizado a exposição: "HQ: A Histórias das Nossas Histórias". O evento ocorrerá no foyer do CAHL (Centro de Artes, Humanidades e Letras) da UFRB (Universidade Federal do Recôncavo da Bahia), localizado à Rua Maestro Irineu Sacramento, S/N, Centro - Cachoeira-BA.

A proposta da mostra é de inserir o quadrinho em um novo espaço, permitindo que ele, obviamente, chegue a um novo público. Que traga visibilidade a essa mídia, ajudando a alimentar as discussões a respeito da sua inserção no âmbito dos museus. Sobretudo, fazendo uma justa homenagem à Angelo Agostini, pioneiro dos quadrinhos no país, e a diversos outros abnegados do "traço", que com muito suor e nanquim fizeram e fazem a história do quadrinho nacional.

Aproveito a oportunidade para convidar àqueles que tenham interesse em participar da exposição, com o envio de material, e também agradecer aos artistas já colaboraram com a mostra com o envio de reproduções de páginas e publicações. Meu muito obrigado a Flávio Colim (in memoriam), José Lanzellotti (in memoriam), Jo OliveiraPrimaggio MantoviGustavo MachadoAllan Goldman,Francisco Sebastião VilachãJosé Márcio NicolosiLeonardo MeloGil Mendes Lorde KramusGiorgio GalliJoão Pinheiro, Haroldo Magno, Sivanildo Sill, Anita Costa, Lincolin Nery, André Betonasi, Octávio Aragão, Carlos Rezende, Paula Mastroberti, Mário Cau, Cristina Judar e José Márcio pela colaboração.

Os interessados em participar do evento como expositor, deverão entrar em contato com Marcos Franco para obter maiores informações sobre o material à ser enviado e o prazo de entrega. Toda colaboração será bem vinda
.

A/C Marcos Franco
Rua: Barreiras, 707, Jardim Cruzeiro
Feira de Santana-BA
Cep.: 44024-372

quinta-feira, 25 de abril de 2013

ENTREVISTA: JOLBA


Jorge Luís Bento de Araújo, mais conhecido no ramo das HQBs como JOLBA, nasceu em 31/01/1964, em Stº Antônio de Pádua interior do Rio de Janeiro... E reside em Rio Bonito (RJ). Autodidata quando o assunto é desenho, e ainda pequeno sempre desenhava o pai, a mãe, os professores e colegas, fazia HQs e vendia na escola... Hoje continua a desenhar, mais sempre baseados nas suas próprias observações... Gosta de todos os tipos de artes.
É criador do personagem Ciclone, que foi um fanzine estudantil criado na escola e vendido de mão em mão dentro do Colégio.  O personagem tem uma gama de fãs na internet e desde 2010, quando tive contato com o genial Jolba, tenho acompanhado seus trabalhos. Conheçam um pouco sobre talentoso artista nesta entrevista que ele nos concedeu.

NOVO SISTEMA. Quando começou a desenhar suas próprias HQs e qual o primeiro personagem que criou?

JOLBA. Comecei a desenhar desde pequeno, copiava as capas de revistas que lia, comecei a desenhar asprópriasHQs, no inicio dos anos 80, e o primeiro personagem foi mesmo o Ciclone, e sua vilã a Natureza Negra...

NOVO SISTEMA. Suas influências artísticas?
JOLBA. Quem me influenciou foi o Romita (pai). As revistas do Homem-Aranha dele são para mim as melhores do Aracnídeo...

NOVO SISTEMA. Qual seu trabalho favorito?

JOLBA. Não tenho trabalho que mais gosto. Gosto de todos... Todos são como filhos, e filhos não tem preferencias... O melhor é sempre o que estou fazendo no momento. (Risos!)

NOVO SISTEMA. Quais as parcerias que já realizou?

JOLBA.Parcerias, digo mais intercâmbios, uma ação entre amigos, o Lucasi, um cara com grandes ideias, tem maior aprecio estou sempre pronto no que ele precisar na HQs, viemos com algum tempo atrás com um projeto, mais por problemas pessoais ano passado, acabei não concluindo... E tem você Suad, onde fizemos uma boa HQ, onde discutimos a historias, e você as desenhou magistralmente, e as cores ficaram a cabo meu e do Lunyo. Uma boa parceria... (Risos!)

Página da HQ Homem-Camaleão & Ciclone (2011).
Venho hoje em uma parceria com Antônio Peres (Volpone) em um crossover de nossos personagens, e com a editoração de nada menos que Lancelott onde a parte gráfica é com ele... Uma boa parceria também!

NOVO SISTEMA. Quais os trabalhos que realiza atualmente?

JOLBAHoje, devido ao meu trabalho convencional que me toma algum tempo, me dedico a projetos pessoais, como a Rox Quadrinhos, onde ainda devo postar trabalhos independestes de autores brasileiros em HQ, e os crossover com Peres e Lancelott... Venho também desenvolvendo uma HQ pessoal com desenho e cores e historia minha.

NOVO SISTEMA. Quais são os seus planos para o futuro?

JOLBAMeu plano para o futuro é lançar a revista impressa do Ciclone... Quem sabe o que o futuro nos trará... (Risos!)

 

NOVO SISTEMA. Pra finalizar, uma mensagem para o leitor do Novo Sistema:

JOLBAUma mensagem para os leitores... É que grandes poderes trazem grandes responsabilidades, e isso é a mais pura realidade, e não só uma ficção... Temos que acreditar em nós, e pensar sempre positivo, focar e trabalhar para que o sonho aconteça, um sonho sem trabalho nunca, vai acontecer... Abração!

Conheçam mais sobre o trabalho de Jolba visitando os blogs:


E pelo Facebook:


.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

COLETÂNEA FLAVIO COLIN - VOL. 6



Chegamos ao sexto volume da série COLETÂNEA FLAVIO COLIN, totalizando mais de 600 páginas de puro Colin, arquivos digitais para pesquisa e conhecimento dos novos leitores...

O projeto visa tributar ao Mestre, um preito de gratidão e levar sua obra à todos os artistas brasileiros... Colin, nada mais é do que uma verdadeira assinatura, um traço verde e amarelo que se  torna universal e único pela sua exclusividade.

Neste volume apresentamos duas histórias da fase anterior ao seu traço mais conhecido, quando se aventurava nos caminhos terror ainda no seu traço mais realista, O ÍDOLO DE JADE e O MORRO DOS ASSOVIOS.

Para baixar e ler O VOLUME 06 basta clicar AQUI. 

VOLUME 01
VOLUME 02
VOLUME 03
VOLUME 04
VOLUME 05

Boa leitura.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

DOWNLOAD: ÁTOMO 8

Os eventos ocorridos durante o conflito nos Alpes Suíços vistos por um ângulo totalmente diferente. Imperdível!

Download MediaFire: http://www.mediafire.com/?x2xbsev7nd0utkd

quarta-feira, 17 de abril de 2013

DOWNLOAD: ÁGUIA DE BRONZE - CAPÍTULO 17 - O SENHOR DA ESCURIDÃO (PARTE 2)


A batalha final se inicia e o lider Titan KRONUS entra no campo de batalha revelando seu verdadeiro poder. conseguirão ÀGUIA DE BRONZE e seus companheiros deter esta ameaça! Imperdível!

Download: http://www.mediafire.com/?8vle4rci8shob9o

DOWNLOAD: ÁGUIA DE BRONZE - CAPÍTULO 16 - O SENHOR DA ESCURIDÃO (PARTE 1)



Nossos heróis continuam sua jornada pela fortaleza Titan. A batalha decisiva se aproxima.


Download: http://www.mediafire.com/?igx4881nioz936x

DOWNLOAD: MITOCÔNDRION 1


Mais uma estréia de super-heróis do universo FN Comics, o MITOCÔNDRION, que é um super-herói que utiliza de avançada tecnologia para combater o crime em Natalândia, onde ele mora e trabalha como motorista de táxi.


Roteirizado por FABIO NATAL SANTANA E SILVA. 
Desenhado e arte-finalizado por FRANCISCO CARLOS SOBRINHO JR. 

Veja em: http://www.fncomics.xpg.com.br

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Mundo celebra hoje o Dia do Desenhista

 
Comemora-se hoje, 15 de Abril, o Dia Mundial do Desenhista, em homenagem e reconhecimento ao grande mestre Da Vinci, nascido neste dia, em 1452.
Um desenhista é um artista gráfico especializado em melhorar a escrita, providenciando uma representação gráfica que corresponda ao conteúdo do texto associado.
A ilustração pode ser feita para clarificar conceitos ou objectos complicados que sejam difíceis de descrever textualmente ou a ilustração pode ser feita para entretenimento, cartões de visita, em capas e no interior de livros e revistas ou até mesmo para propagandas.
A maioria dos desenhistas contemporâneos vive dos seus trabalhos artísticos, que são usados em livros infantis, propaganda, jornais e revistas. Os artistas de lápis e tinta e de aerógrafo tradicionalmente dominaram este campo.
Os computadores alteraram a indústria dramaticamente, e, hoje, são utilizados na produção de praticamente todas as ilustrações.
Porém, as técnicas tradicionais de ilustração ainda são populares, particularmente no campo literário. Guache, óleo, pastel, xilogravura, Lino gravura e pincel são algumas das técnicas tradicionais.
Não existem qualificações formais para que alguém se torne um desenhista. Porém, vários desenhistas de renome passaram por alguma escola de arte ou colégio dessa espécie e foram treinados em diferentes técnicas de desenho, pelo que são trabalhadores eventuais de jornais, livros, revistas ou agências de publicidade.
A maioria das ilustrações técnicas ou científicas também é conhecida como "informação gráfica". Entre os especialistas de informação gráfica estão os desenhistas médicos que ilustram a anatomia humana, o que requer vários anos de treinamento médico e artístico.
Deve-se aos desenhistas o facto de muitos acontecimentos da humanidade terem sido perpetuados para futuras gerações.

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Kodama DF 2013


COLETÂNEA FLAVIO COLIN - VOL. 5 (JANGO JORGE)

 
Chegamos ao quinto volume da série COLETÂNEA FLAVIO COLIN, e nesta edição apresentamos 5 aventuras do personagem de  JORGE FISCHER NUNES, denominado JANGO JORGE
JANGO JORGE é um personagem da guerra civil do Rio Grande do Sul, sobrevivente da luta entre maragatos e chimangos que deixou muitas marcas... Seu pai era um maragato, que em combate matou o irmão de um chimango que após a guerra fora intendente e por ódio mandou matar  seu pai e sua mãe... Conseguindo escapar, jurou vingança aos seus algozes. JANGO torna-se um justiceiro a vagar nas plagas gaúchas...
O justiceiro JANGO JORGE apesar de ser da lavra de Jorge Fischer Nunes, já era figura dos “Contos Gauchescos” de 1912, de Simões Lopes, representando bem uma época de conflitos pessoais após a guerra...
Colin atribui com seu traço, forte personalidade ao herói campeiro, tornando-o muito peculiar e especial. Pena que ambos os autores do texto e da arte já partiram... Fica aqui o tributo, a homenagem e ainda pra conhecimento dos novos leitores. Para baixar e ler basta clicar AQUI

quinta-feira, 11 de abril de 2013

III Ugra Zine Fest: como foi


No último fim de semana em São Paulo, 6 e 7 de abril, aconteceu a terceira edição do Ugra Zine Fest, no Centro Cultural São Paulo. O Impulso HQ deu uma passada rápida no sábado e pode conferir os lançamentos dos zineiros e da galera que produz todo o seu material de maneira independente. De quebra ainda conferimos a Exposição Panorama Ibero-Americano de Publicações Independentes e entrevistamos Douglas Utescher, um dos organizadores do evento.
Começando com o local. Para quem não conhece o Centro Cultural São Paulo e mora na cidade está perdendo um belíssimo local para passar uma tarde de sábado. Além dos grupos que costumam frequentar o local, lá está a Gibiteca Henfil, espaço onde se encontra inúmeras revistas em quadrinhos, inclusive raridades.
Com espaço maior e mais arejado o Ugra Zine tomou proporções bem maiores que as edições anteriores. Dividido em praticamente quatro áreas, bancada dos zineiros, espaço das palestras espaço da exposição e sala de cinema, o evento teve ainda a vantagem de ser praticamente aberto a todos que visitassem o Centro Cultural, o que proporcionou um maior contato e interesse do público para as atividades do dia. Ganha o zineiro que pode mostrar a sua arte para um público que normalmente não chega até as suas publicações e com certeza ganha o público que pode ter contato com o material e autores de várias gerações da cultura independente de zines.
Sobre as mudanças na estrutura do Ugra Zine Fest, o Impulso HQ conversou com Douglas Utescher que nos revelou que os organizadores sempre tiveram o desejo que a cada nova edição do evento superasse a anterior. “Não temos experiências com eventos, no sentido de que não trabalhamos profissionalmente com isso, mas frequentamos muitos eventos e temos uma boa noção do que gostaríamos de esperar e ver em um evento. O foco central é o conteúdo mais do que a venda. Trazendo para o centro cultural tivemos a oportunidade de focar nisso. Concretizamos ideias que trazíamos desde outras edições”, disse ele.
E realmente levar o evento para o Centro Cultural deu outra cara para o evento. A boa iluminação e o espaço aberto possibilitou um local para a exposição de zines muito melhor que as edições anteriores. Podemos dizer que a Exposição Panorama Ibero-Americano de Publicações Independentes foi muito bem alocada. A mostra já passou por Portugal, Itália, Finlândia, Suécia, E.U.A e Espanha, e no Ugra Zine Fest, além de ter algumas obras nacionais a exposição ainda abrigou zines do Chile, México, Venezuela e Argentina, nos exibindo um “varal” da diversificidade da produção independente dos países e seus artistas.
Sobre a parceria Douglas explica que tudo aconteceu por acaso. “Ano passado o Centro Cultural promoveu o mês da cultura independente e uma das atividades foi uma palestra com a Cintia B., editora da revista Golden Shower. Já havíamos comentado algumas vezes sobre os locais que poderiam acontecer o Ugra e o Centro Cultural sempre foi cogitado. Quando acabou a palestra a gente foi na cara dura e nos apresentamos para a Deise que é a curadora das bibliotecas e comentei sobre o nosso evento que já estava em sua segunda edição e falamos do nosso know hall. Calhou que justamente que o Centro Cultural estava em busca de projetos para revitalizar e dar uma movimentada na Gibiteca Henfil. Daí foi apresentar o projeto e eles curtiram. O que nos deixou felizes foi que eles nos deram carta branca. Combinou o que a gente pretendia com o que eles queriam e ficou exatamente como a gente propôs.”
O Ugra Zine Fest também é um local de lançamento, e a bancada de exposição dos zineiros até ficou pequena para tanto material a ser exposto. Entre as novidades “Amores Plurais”, organizado por Henrique Magalhães e Gibi Gibi nº2 que demorou quase um ano para ser lançada. Douglas também nos dá a sua visão do que ele espera o que represente o Ugra Zine Fest para os zineiros e todos os que visitam o evento. “Não sei o que representa, mas consigo dizer o que eu espero que ele represente. A intenção dos projetos da UGRA, tanto o Ugra Zine Fest como o Anuário é de “tacar lenha na fogueira”. A gente gostaria que as pessoas saíssem daqui com muitas ideias na cabeça e com vontade de produzir e continuar dando sequência à cultura independente”, disse Douglas que além de organizar o evento também dava o suporte as palestras do dia operando os equipamentos de apresentação.
E falando em palestras, quem foi sábado pode curtir boas apresentações de debates e palestras. Destacamos aqui a palestra de Edgar Guimarães, um dos editores de fanzines mais conhecidos do meio. O autor contou rapidamente a sua trajetória com as publicações independente mostrando inclusive alguns exemplares originais e raros de sua coleção. Depois abriu o espaço para perguntas.
O interessante foi perceber a postura de Guimarães em relação às publicações independentes. Edgar que é engenheiro e professor quando não está editando as suas publicações revelou que não tem paciência para inscrever os seus projetos em editais de cultura. O autor que é o pioneiro em lançar um zine com assinatura e impressão por demanda ainda esclareceu que faz zines porque gosta e não para ganhar dinheiro.“Meu Best-seller até hoje na minha carreira foi vender 50 exemplares de uma edição. Tem um monte de coisa chata na hora de fazer, mas o resultado final compensa. Quero que as pessoas que tenho interesse no meu trabalho tenham acesso”, disse Guimarães.
Essa postura de Guimarães demonstra que acima de tudo é necessário ter muita vontade para produzir de maneira independente. Mas será que ainda há espaço para a produção nos dias de hoje? Perguntamos isso para Douglas que explicou o seu ponto de vista do cenário atual dos independentes. “Estamos em um momento interessante. Há dez anos estávamos no boom da Internet e todos estavam eufóricos querendo investigar as possibilidades. Em consequência muita gente acabou abandonando o fanzine e teve até a crença que zine iria acabar e que o futuro era a internet. Agora dez anos depois, um pouquinho mais se considerarmos que o boom foi no começo dos anos 2.000, já deu tempo para a poeira baixar e analisarmos até onde a Internet consegue chegar e até que ponto conseguimos dialogar sem que uma coisa mate a outra”afirmou Douglas, que também é responsável pela Ugra Press, uma editora independente que publica o Anuário de Fanzines.
E pelo jeito o Anuário é o termômetro que Douglas utiliza para analisar a atual produção dos independentes. “Pelos projetos que realizamos a gente percebe que teve uma retomada. Tem mais pessoas voltando a publicar e pessoas publicando pela primeira vez. Isso é um bom sinal porque está se formando uma nova geração de zineiros. Não são só velhos nostálgicos que querem voltar a fazer porque era legal nos anos 1990. Tem uma molecada nova produzindo e produzindo coisas muito boas. Eu acho que isso tem a ver porque estamos atravessando uma fase de excessos de um mundo tão centrado em tecnologia e obcecado por isso que acaba propiciando que direcionamos o nosso olhar para as coisas que são feitas artesanalmente, para produtos independentes e limitados que redescobrimos a beleza que elas tem que não é aquele fato de passar por um super tratamento, mas são incrivelmente humanas, sinceras e descompromissadas com o mercado” disse Douglas.
Antes do debate “Fanzines, Sexualidade e Questões de Gênero” Douglas explicou que um dos motivos do tema ser escolhido como pauta para uma das mesas redondas foi justamente o crescimento de envio de material falando sobre sexualidade. E frisou que nada mais natural que para o primeiro debate do evento fosse escolhido um tema que ele considera pertinente com os dias atuais e lembrou que o zine é um espaço de transgressão e liberdade, um lugar onde se pode “botar o dedo na ferida”.
Douglas também revelou ao Impulso HQ as surpresas que o Anuário de Fanzines lhe propicia. “O que mais me surpreende, principalmente no último, foi a qualidade do material que recebemos. A g ente procura não fazer juízo de valor no anuário muito embora ele seja opinativo, mas na verdade não queremos falar mal ou falar bem, procuramos dar uma opinião objetiva do material que recebemos. No primeiro anuário recebemos bastante coisa que ficamos com aquela sensação de “legal que o pessoal está fazendo”, mas sabíamos que poderíamos dar um passo além. E esse passo foi dado tanto no segundo anuário quanto agora no terceiro. A quantidade de coisas muito legais que recebemos agora para este terceiro foi incrivelmente maior do que coisas que consideramos “não muito legal”. Isso é um sinal de uma produção muito saudável que cresce não só em quantidade como em qualidade”.
Para finalizar, Douglas já comentou um pouco sobre a próxima edição do Ugra Zine Fest. “Na verdade a gente já teria programação para as próximas duas ou três edições do evento. Vamos recebendo material do anuário por meio da convocatória e vamos descobrindo novas pessoas que tem uma produção muito legal e queremos trazê-las para as próximas edições. Como o evento vai crescer vai depender muito dessa edição e do resultado que obtivermos aqui e veremos qual será o próximo passo que daremos, mas é certeza que da parte de pessoas legais para colaborar teremos muita coisa boa vindo por aí.”
Douglas Utescher
O evento cresceu. Estivemos lá durante só a tarde do primeiro dia e deu pra perceber que dificilmente o Ugra Zine Fest dará um passo para trás. O cenário independente acaba de se firmar e ganhar um evento de primeiro escalão. Não é a toa que o Ugra Zine Fest foi pré-indicado ao Troféu HQMIX na categoria de “Melhor evento”.


Para aqueles que ficaram mais interessados na produção independente e querem saber mais sobre o Ugra Zine Fest e o Anuário de Fanzines não deixem de conferir o blog da Ugra Press, clicando aqui.
E não deixem de conferir o nosso álbum de fotos com mais de 40 fotos com muita coisa que aconteceu durante o sábado, dia 6 de abril, o primeiro dia do III Ugra Zine Fest, clicando aqui.
                                    
                                                                                                                                                                                 Fonte: http://impulsohq.com/

PARTICIPE DA QUADRECA



" A Quadreca, revista de quadrinhos da Escola de Comunicação e Artes da USP, existe desde 1977 e foi criada pelos alunos do curso de Editoração. O projeto teve altos e baixos e foi cancelado e ressuscitado um milhão de vezes. Já publicamos Laerte, em 78; Bira Dantas (1984 e 2006); uma das capas foi feita pelos gêmeos Gabriel Bá e Fábio Moon e a primeira HQ do Daniel Esteves foi numa publicação nossa.
Desde 2010 alguns alunos do curso de Editoração têm trabalhado para o retorno da revista. Temos o apoio de uma editora universitária para bancar a impressão, mas continuamos como um projeto independente da USP.
Estamos totalmente reestruturados e pretendemos divulgar a Quadreca para Deus e o mundo (incluindo a ACQ) através do e-flyer que está em destaque em nossa fanpage no Facebook. É um projeto muito bacana, mas pouco conhecido, apesar de ter 40 anos.
Estamos abertos para receber material para a próxima publicação e queremos de tudo um pouco, resenhas, trabalhos acadêmicos, roteiros, ilustrações, tiras, Hq's, mangás, tudo mesmo. Queremos movimentar de verdade os quadrinhos brasileiros e demais trabalhos relacionados ao assunto.

Abaixo seguem as nossas páginas e site:

http://www.quadreca.com 

http://www.facebook.com/ProjetoQuadreca

quarta-feira, 10 de abril de 2013

UNIVERSO BRASIL#0


UNIVERSO BRASIL, é uma criação de Lancelott, que pretende através deste formato digital, também mostrar e ou resgatar as criações clássicas do quadrinho brasileiro... O roteiro de Lancelott e arte de Renan Ishin trazem neste primeiro "encontro" os personagens GARRA CINZENTA e FLAMA que se confrontam numa artimanha possibilitada pelo CATALOGADOR de UNIVERSOS ( personagem de Lancelott), deixando um entendimento para uma possível grande aventura que poderá vir...


 O FLAMA é talvez o primeiro personagem nordestino com o merecido destaque, uma criação do radialista Deodato Borges, nos tempos que trabalhava na Radio Borborema (Campina Grande/PB), como Chefe das Emissoras Associadas, com um programa de muito sucesso, a Hora do Flama, na década de 60... Logo em seguida, também publicava AS AVENTURAS DO FLAMA em quadrinhos com efêmero sucesso, talvez duas ou tres edições mas de grande procura pelos fãs do programa...



A GARRA CINZENTA uma criação brasileira também circunscrita a São Paulo nos idos de 30, publicada sob forma de pranchas no suplemento de A GAZETA, " A Gazetinha"... Durante a semana saia em dias alternados totalizando ao final 100 pranchas e ou capítulos publicados. Este nosso personagem, herói ou vilão, chegou também a ser publicada na Europa pela revista belga "Le Moustique" em 1944 que até bem pouco tempo atrás ainda se registravam nas enciclopédias on-line como um personagem francês... O curioso nesta criação é a grande confusão não elucidada sobre um de seus criadores, Francisco Armond, de quem nada se tem de concreto, ou quem seria...

A ROX Quadrinhos apresenta orgulhosamente sua primeira parceria de publicação digital com selo HQ Quadrinhos e disponibiliza FREE o download  (no formato CBR) desta revista. Para baixar basta clicar AQUI!


segunda-feira, 8 de abril de 2013

I PRÊMIO CAMPOS DO JORDÃO DE POESIA 2013

É isso aí, galera! O NOVO SISTEMA apoia e incentiva a cultura. 
Além de recebermos as Hqs dos artistas que contribuem conosco como é de costume, recebemos também inumeros textos poéticos seja por carta, seja por e-mail. E hoje recebi este edital, o qual resolvi postar para quem curte poesia ou estiver interessado.




Apresentação: Objetivando estimular a produção literária, auxiliar a divulgação do trabalho de novos poetas e promover a Cidade de Campos do Jordão no cenário literário brasileiro, a ACADEMIA DE LETRAS DE CAMPOS DO JORDÃO torna pública a realização do I PRÊMIO CAMPOS DO JORDÃO DE POESIA, cujo Regulamento apresentamos a seguir:
Período de Inscrições: de 01 de janeiro a 30 de abril de 2013 (valendo a data da postagem);

Categorias: 1- POESIA NACIONAL; 2- POESIA INTERNACIONAL (textos enviados nas línguas espanhola, italiana e portuguesa (países lusófonos) de autores não-brasileiros residentes fora do Brasil), 3- POESIA JORDANENSE (para autores residentes em Campos do Jordão e membros da Academia de Letras de Campos do Jordão).

Forma de participação: Os autores poderão participar somente de uma categoria, com no máximo 05 (cinco) textos por categoria. O tema é livre e não há limites de páginas, versos, linhas ou toques. Devem, no entanto, estar digitados ou datilografados.

Taxa de Inscrição: R$ 5,00 (cinco reais), por texto inscrito, valor este que se destina a cobrir despesas gerais do Concurso.

Como participar: Os textos, de temática livre, devem ser enviados em 02 (duas) vias cada um, devendo constar em cada uma delas o título do texto e o pseudônimo do autor. Anexo, deve ser enviado outro envelope menor, lacrado, devendo constar na parte externa apenas o pseudônimo, títulos das obras e a categoria concorrente. Na parte interna deste segundo envelope, as seguintes informações: Pseudônimo, título das obras inscritas, nome do Autor, endereço com CEP, telefone e e-mail, se tiver, e comprovante do depósito.

Forma de inscrição: Somente via postal (Correios), devendo o material ser enviado (valendo a data do carimbo até 30/04/2013) para o seguinte endereço: Academia de Letras de Campos do Jordão, Praça Octavio Bittencourt, 20 – Vila Ferraz – CEP 12460-000, Campos do Jordão, SP. Não serão aceitas inscrições que não forem feitas através dos Correios.

Premiação: 
a   a) 1. LUGAR POESIA NACIONAL: Troféu Paulo Dantas; 2. LUGAR POESIA NACIONAL: Medalha de Honra ao Mérito;
b   b) 1. LUGAR POESIA INTRERNACIONAL: Troféu Arakaki Masakazu; 2. LUGAR: Medalha de Honra ao Mérito;
c   c) 1. LUGAR POESIA JORDANENSE: Troféu João de Sá.
Cerificados: Todos os Participantes receberão Certificado, independentemente de serem ou não vencedores.

Comissão Julgadora: A banca será formada por profissionais de literatura, docentes ou escritores, membros ou não da Academia de Letras de Campos do Jordão, que avaliarão os trabalhos. A decisão dos jurados é soberana e, sua decisão, inquestionável.

Divulgação do Resultado: Os vencedores serão comunicados previamente do resultado, que será tornado de conhecimento público através de envio de release para a Imprensa (jornais e sites de literatura). A relação dos vencedores estará disponibilizada no site da Academia (http://academiadeletrasdecamposdojordao.blogspot.com.br). Não haverá nenhuma ajuda de custo aos vencedores para que venham a Campos do Jordão receber seus prêmios, que serão enviados pelos Correios, sendo as despesas deste envio de responsabilidade da organização do Concurso.

Dados bancários para depósito da taxa de inscrição: Banco do Brasil, agência 905-9, conta corrente 16468-2, favorecido Academia de Letras de Campos do Jordão.

Observação: Após o Concurso, os textos não serão devolvidos.
Maiores informações: academiadeletras.cjordao@gmail.com, ou (12) 3662-3763 – Benilson Toniolo


Boa sorte à todos!

COLETÂNEA FLAVIO COLIN - VOL. 4

 
Amigos e admiradores da obra de Flávio Colin, Apresentamos o QUARTO volume da série, com 14 histórias publicadas... Com este volume, já são mais de 400 páginas compiladas de meu acervo e scans de amigos como o Alan Bispo e Paulo Castilho. Sem estas contribuições jamais teríamos esta memória. 
 
Para baixar e ler basta clicar AQUI.

sábado, 6 de abril de 2013

DOWNLOAD: FÓTON 10

Esta é a décima edição do maior super-herói do universo FN Comics: FÓTON, que com seus poderes relativos à luz enfrenta a crime e a injustiça na maior e mais populosa cidade do país, e também fora da Terra. Início da série: Em Busca da Pedra Luminosa!

Tudo roteirizado, desenhado e arte-finalizado por FABIO NATAL SANTANA E SILVA.

http://fncomics.xpg.uol.com.br/index.htm#1

NOVO SISTEMA: CARD GAME

Fala aeh, pessoal! Tudo em cima?  
Trago a vocês o 3º Card da coleção NOVO SISTEMA: CARD GAME. 
Apresentando o vilão STRYKER!

SUPER-HERÓIS DAS HQBs- BRASÃO VERDE


sexta-feira, 5 de abril de 2013

Começa amanhã o 3º Ugra Zine Fest!‏

Enfim está chegando a hora! Começa amanhã a terceira edição do Ugra Zine Fest, agora em novo espaço (no Centro Cultural São Paulo, ao lado do metrô Vergueiro) e com dois dias inteiros de atividades.

Confira a programação:

DIA 6 DE ABRIL, SÁBADO
10h:
 Oficina de colagem, com Kauê Garcia.
12h:
 Palestra “Construindo uma Fanzinoteca”, com Fernanda Meireles.
14h: Pré-estréia do 3º capítulo da trilogia “Fanzineiros do Século Passado”, de Márcio Sno.
15h30: Palestra “Retrospectiva do editor Edgard Guimarães”, com Edgard Guimarães.
16h45: Debate “Fanzines, Sexualidade e Questões de Gênero”.
Mediação: Fernanda Meireles. Com Anita Prado, Julie e Henrique Magalhães.

DIA 7 DE ABRIL, DOMINGO
10h:
 Oficina de Quadrinhos Experimentais, com Law Tissot.
12h: Palestra “O Fanzine na Escola”, com Ana Basaglia.
14h: Exibição do documentário “DocZine”, de José Lopes.
15h30: Palestra “Prego no Brasil e no mundo”, com Alex Vieira.
16h30: Debate “Estratégias de Viabilização para os Quadrinhos Independentes”
Mediação: Worney. Com Daniel Esteves, Alex Vieira e Gual.
18h: Show com as bandas Tuna e Morto Pela Escola.

DURANTE OS DOIS DIAS:
Exposição “Panorama Iberoamericano de Publicações Independentes”
Exposição “Futuro Primitivo” do coletivo português Chili Com Carne
Feira de venda e troca de zines e publicações independentes
.
Para mais detalhes sobre o evento, entrevistas com os participantes e a lista completa dos expositores que estarão na feira, visite o blog http://3uzf.wordpress.com/
.
Então é isso. Nos vemos no UZF!