terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Completamos agora a pouco mais de 40.000 (quarenta mil ) acessos desde a criação do blog. Uma marca só conseguida devido ao carinho de todos.
Lembro que o blog ainda engatinhando quando completamos 10.000 acessos e tinhámos uma expectativa de chegar aos 20.000. Portanto superamos em muito as expectativas.
Agradeço a todos que fizeram deste blog sua fonte de informação, entretenimento... Erros às vezes são cometidos, peço aqui perdão por algum post que não foi do agrado de alguns e por comentários que foram ou deixaram de ser postados. Vamos seguir em frente! Sempre no sentido de fazer deste espaço o seu ponto de expressão e informação da 9ª arte. 
Muito obrigado, galera!

Faça você mesmo! – conheça a Revista Punk


A Revista Punk é uma publicação de histórias em quadrinhos underground feita por – como os que trabalham em sua produção se definem – “um bando de bastardos, esforçados e talentosos pra c******! Não temos grana no bolso, mas temos muitas idéias na cabeça”.
A revista é uma ideia de Adriano Sousa, sendo uma publicação totalmente independente. Sua primeira edição reúne seis HQs, com temas e estilos variados e escritos por um só roteirista (no caso, o próprio Adriano) e desenhada por seis artistas diferentes. São eles:

Rafael Portela (Arte: No Escuro)

Página de “No Escuro”, por Rafael Portela

Andre Nogueira (Arte: Dois Coyotes)

Página de “Dois Coyotes”, por Andre Nogueira

Diego Paz (Arte: Homem Verme)

Página de “Homem Verme”, por Diego Paz

Arthur Colares (Arte: Doinpherno)

Página de “Doinpherno”, por Arthur Colares

Ronilson Caetano (Arte: Sem Domínio)

Página de “Sem Domínio”, por Ronilson Caetano

Heitor Silva (Arte: Alta Destruição)

Página de “Alta Destruição”, por Heitor Silva

A segunda edição já está em fase de produção e, se você tem interesse em colaborar, saiba que os responsáveis pela publicação estão selecionando artistas. O contato pode ser feito pela  fan page do Facebook da Revista Punk ou, diretamente, com o criador, Adriano Sousa, pelo seu perfil.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Das páginas de "PRETORES"... PRINCESA TORMENTA!

Das páginas de "Os Pretores", estrelando uma HQ solo, acaba de ser publicada a primeira edição da Princesa Tormenta, já disponível para download e leitura online em: http://www.fncomics.xpg.com.br/

Leia e comente!

A qualquer hora... Em qualquer lugar!


Aguardem! 
Em breve!

Links ATUALIZADOS para Baixar HQ do Homem-Camaleão!

E aí, galera! Tava um pouco sumido, mas trabalhando pra melhorar o acesso de vocês ao conteúdo do blog. Resolvi Criar esse post para ajudar o maximo de pessoas possivel, pois alguns visitantes comentaram que nao conseguiam baixar as HQ's do Homem-Camaleão pois os links se encontravam quebrados. Até porque faz uma cara que eu postei as HQ's!.
Galera, tá ai o link que leva vocês direto a página de download e vocês podem baixar as HQ's do Cameleão agora pelo Media Fire que é até mais prático que o 4Shared.


Boa leitura!

HOMEM-CAMALEÃO COMPLETA 15 ANOS!


   
   Há quinze anos atrás em 1998, durante a crista da onda dos heróis Marvel e DC da década de 90, eu colocava em prática os primeiros rabiscos do viria a ser o Homem Camaleão. Era uma época frenética que vivi junto com os meus amigos de infância, com muitas influências, e nenhum de nós estava interessado em ganhar dinheiro com HQs no Brasil - só queríamos desenhar e sentir o gostinho de ver um exemplar de nossos personagens concluído, um após o outro. Num levantamento incompleto que fiz desta época, relacionei mais de QUARENTA "fanzines" que produzimos juntos e criamos inúmeros personagens, eram eles: Homem Camaleão, Homem Barata, Homem Sapo, Fire First, Chama, Space Mercury, Gatuna, Lunar, entros outros... Alguns com nomes bem escrotos como no caso do Jacaré Coroa e Dr. Baratão (Risos!).
   Nenhum de nós mandava muito bem no traço e tudo era bem amador mesmo. Mas nada superava nossa força de vontade. Foram criadas inúmeras origens para o meu personagem e inúmeros uniformes até que se chegasse ao que chamo hoje de “a versão definitiva do personagem”. Como já havia citado antes, o Camaleão acabou também virando febre entre os alunos da escola onde eu estudava o que me fez começar a ver as coisas por outro patamar... Fico muito agradecido pelo apoio que recebi até aqui.
   A história no começo segue mais ou menos o mesmo ritmo do que vemos por aí: Um jovem que busca vingança pela morte de um ente querido e que acaba adquirindo habilidades especiais e as usa para combater o mal (meio clichê!), mas a narrativa acabou ganhando vida própria, com muitas porradas e mortes e os dramas pessoais vividos por Sawane Sullivan que é o protagonista da história. A garota em questão se chama Millena, que é amiga-quase-namorada de Sawane. Mas quando ele descobre alguns “podres” dela, passa a odiá-la. É, ele é mesmo um herói azarado...
   Com muito mais ação e violência, o herói enfrenta vários de seus inimigos: Stryker, Mestre-do-Crime, Crocodilo, Corona, Alligator e vários outros, e sempre contando com o apoio de seu sensei Sebastian Barton, mestre em Kung Fu, que age como uma espécie de “anjo-da-guarda” nos momentos de perigo do herói. Acho que atualmente eu apresento um Homem Camaleão muito mais sofrido, ferrado e angustiado, se comparado com o qual eu fazia lá atrás em 1998... Eu ainda possuo alguns desses antigos exemplares que resistiram a uma guerra de cupins aqui em casa (Risos!).
   É, cambada! E neste mês o Homem Camaleão está completando seus 15 Anos de existência. Fico muito satisfeito com o que tenho alcançado e sei que ainda tenho um longo caminho a trilhar. Espero que todos estejam curtindo suas aventuras e que possam continuar acompanhando e que Deus me dê forças e criatividade pra prosseguir! Obrigado por tudo!

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

NOVO SISTEMA começa migração

   É isso aí, galera! Vamos mudar algumas coisas em nosso blog no próximo mês. De inicio, o blog mudará a url e não se chamará mais http://homemcamaleao.blogspot.com.br, e sim http://novosistema.blogspot.com.br/... (Ou algo do gênero!) Devido ao fato de que o blog não é mais limitado somente ao personagem Homem-Camaleão como era de início. 
   A coisa cresceu e agora como divulgamos não só nossos trabalhos como também trabalhos de outros autores e também já discutimos sobre assuntos que dizem respeito a arte sequêncial, resolvemos então mesclar as coisas. Isso deixará a página mais dinâmica, além do que, poderemos ir mais além com nossos projetos.

Bom é isso aí... Muito em breve estaremos mudando! Agora é só aguardar e curtir as novidades que vem por aí!

Um abraço forte e energias positivas pra todos!

DOWNLOAD: VISAGEM 5

   São Luís, capital Maranhense, chamada também de ilha do amor, e que completou seus 400 anos, durante esse tempo varias histórias foram contadas, passadas de geração em geração, algumas foram aumentadas e hoje muita gente não sabe dizer se realmente aconteceram,  verdadeiras ou não, as lendas fazem parte da história de são Luís e aqui todo mundo conhece uma.
   Lendas que vão de uma carruagem mal assombrada até a uma serpente que um dia afundará a ilha, passando por fantasmas vinganças e lágrimas. Acreditar ou não ? essa é a questão que povoa o imaginário de todos que passam a conhecê-las. Mas nessa edição veremos que essas lendas podem ir muito além da imaginação da população de São Luís. E como o VISAGEM irá lidar com isso? É o que descobriremos aqui! 

Prévia

Boa leituta!
Download: http://www.mediafire.com/?3p7y05x23b5g0b7

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

SUPER-HERÓIS DAS HQBs EM VERSÃO CHIBI! PARTE V

Olá, pessoal! 
Trago a vocês a quinta (E última!) edição da HQ Super-Heróis Brasileiros versão Chibi, feita pelo meu amigo Shewdon. Dessa vez um novo personagem aparece: A irmã do Lobo Justiceiro! E parece que ela quer encrenca com a Águia de Bronze! O que será que vai acontecer?! É o que vamos descobrir agora!




É isso aê, cambada! Quero deixar aqui os meus parabéns ao Shewdon por esse ótimo trabalho que ele realizou! Agora ele está envolvido em outros projetos, mas com certeza ainda ouviremos falar dele por aqui!

Até a próxima postagem!!!

=D

ÁGUIA DE BRONZE - CAPÍTULO 15 - A NOITE QUE NUNCA ACABA

Download: http://www.mediafire.com/?u3etdidb4zm77m4

ÁGUIA DE BRONZE - CAPÍTULO 14 - OBSESSÃO

Download: http://www.mediafire.com/?i8jiq9jjmulyuhg

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Releituras POP da Monalisa ganham exposição na Urban Arts

Ilustradores de SP, DF, BA, SC, RS e ES criam versões cadavéricas, nordestinas, cúbicas e emo da famosa obra de da Vinci
 “Se você fosse o Leonardo da Vinci, como seria a sua Monalisa?”. Esse foi o desafio proposto pela galeria de arte Urban Arts, em parceria com a rede social criativa focada em arte It’s Noon, a artistas plásticos de todo o país no final de 2012.
Com o feedback de mais de 240 obras inscritas, um júri especializado selecionou as 30 melhores para integrar a mostra que abre hoje, dia 5 de fevereiro, na mais nova unidade da Urban Arts, na Vila Madalena, em São Paulo, a partir das 19h, com entrada franca.
O objetivo é descobrir e dar visibilidade a novos talentos da arte digital e ilustração, que carecem de galerias com infraestrutura profissional para expor seu trabalho. Os diferentes olhares sobre uma mesma obra evitam uma provável repetição, com a qualidade inusitada de apresentar releituras muito originais.
Há as Monalisas nordestinas, oriundas da terra de Lampião ou de Jorge Amado; as Monalisas que remetem às HQs e as de caráter mórbido; as cúbicas, conceituais, roqueiras, emo e até mesmo as Monalisas leitoras do best-seller Cinquenta Tons de Cinza.
A mostra se estende até o dia 16 de fevereiro e apresenta trabalhos de artistas dos estados de São Paulo, Bahia, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Espírito Santo e Distrito Federal.

Mostra: “Se você fosse o Leonardo da Vinci, como seria a sua Mona Lisa?”
 
Do dia 5 ao dia 16 de fevereiro
Unidade da Vila Madalena
Rua Aspicuelta, 237 – Vila Madalena
São Paulo – SP 



segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

29º Troféu Angelo Agostini: como foi...


Aconteceu no último sábado, 2 de fevereiro, em São Paulo, mais uma edição da tradicional premiação dos quadrinhos “Troféu Angelo Agostini”, que pela primeira vez foi dentro do Memorial da América Latina.
A cerimônia que há 29 anos é promovida e organizada pela AQC-ESP – Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo – manteve o charme que lhe é tão peculiar: o sentimento de saudosismo e respeito mútuo entre os organizadores e convidados. É realmente muito bonito ver o carinho e respeito que é demonstrado com a “velha guarda” dos quadrinhos nacionais.
A mudança de casa fez bem à premiação. Se nas duas últimas duas edições (que foram realizadas no Instituto Cervantes) a premiação já estava bem localizada, agora dentro do Auditório da Biblioteca do Memorial da América Latina, ela ganhou o seu lugar merecido. Além de toda a ambientação que conta com excelente acústica, espaço amplo e agradável, existe toda a questão de ser uma das obras mais famosas de Oscar Niemeyer e ser um lugar de prestígio cultural.

João Batista de Andrade e Gonçalo Jr.
 Logo na abertura da cerimônia, João Batista de Andrade, presidente do Memorial da América Latina, fez questão de frisar a importância de um prêmio como o Angelo Agostini acontecer dentro do espaço em que ocorreu a entrega dos troféus. “O Memorial nos últimos anos se isolou, e ele tem a obrigação de ser popular. Essa é a primeira vez que abrigamos um evento desse porte, e acho isso fundamental, pois temos uma grande capacidade de comunicação com a cidade”, disse João Batista, que também lembrou Niemeyer e o seu gênio criativo. “Estamos em uma instalação fruto da criatividade de Niemeyer, e nada mais natural do que abrigar a riqueza criativa dos quadrinhistas. Tudo aqui tem essa aura criativa, temos a biblioteca, o Salão das Artes e as Salas de Cinemas”, completa João Batista.
Gonçalo Jr., gerente de comunicação do Memorial, fez questão de lembrar que o Memorial da América Latina também foi cenário para a exposição de caricaturas de Oscar Niemeyer, que repercutiu muito bem na mídia nacional e internacional, e adiantou que para o mês de março sairá o catálogo da exposição com as 105 caricaturas expostas.
Mantendo a tradição, após a abertura, Fernando dos Santos apresentou a programação, e lembrou a história da premiação e do dia Nacional das Histórias em Quadrinhos, que é comemorado no dia 30 de janeiro. Fernando mais uma vez agradeceu ao reconhecimento que o Memorial da América Latina creditou a premiação e finalizou com votos de que a parceria seja um longo namoro.
Na sequência, o caricaturista Bira Dantas abriu a palestra dessa edição apresentando os integrantes do estúdio Ely Barbosa: Eduardo Vetillo, Alexandre Silva e Cidão Norberto. Bira também participou da palestra, e frisou que começou a trabalhar com quadrinhos aos 17 anos dentro do estúdio Ely Barbosa, depois de um rápido estágio nos Estúdios Maurício de Sousa.


Foi um bate-papo saudosista da época em que um dos maiores estúdios de quadrinhos do Brasil estava em plena atividade. Vetillo, contou um pouco da história de como o estúdio começou a crescer em 1978 depois de um contrato assinado com a editora RGE para produzir as histórias da Hanna Barbera. Acima de tudo Vetillo lembrou das amizades iniciadas dentro do estúdio e fez questão de afirmar que para ele essa foi a melhor fase dos quadrinhos no Brasil, e que muitos quadrinhista que trabalham hoje para o mercado começaram dentro do estúdio de Ely Barbosa, falecido em 2007.
Depois do contrato com a Hanna Barbera, veio a parceria com a editora Bloch para produzir os quadrinhos dos Trapalhões, que na época era o programa de humor mais visto no País. “Foi uma fase muito produtiva. Chegamos a fazer 250 páginas mensais. E naquela época os personagens eram retratados como adultos. Era quase uma adaptação do programa”, lembrou o quadrinhista.

Cidão Norberto, Bira Dantas, Eduardo Vetillo e Alexandre Silva
Outro integrante da mesa, Cidão, contou mais detalhes sobre a história de Ely Babosa, e como ele começou a produzir quadrinhos para Silvio Santos com o gibi Baú da Felicidade. Uma curiosidade é que à mesa estavam pelo menos quatro gerações que trabalharam no estúdio. Uma característica que ficou marcante é que todos começaram muito cedo dentro do estúdio e admirando o trabalho um do outro. “Comecei dentro do estúdio com 16 anos assinando roteiro e desenho. Eu ficava impressionado com os trabalhos de Vetillo”, disse Cidão.
Bira contou um “causo” que ocorreu dentro do estúdio quando uma história dos Trabalhões foi barrada pela censura. O ano era 1980, e foi produzida uma história em que o sindicalista Lula da Silva (sim ele mesmo), se encontrava com os Trapalhões que estavam fazendo às vezes de super-heróis decidem fazer uma greve. Acontece que o termo “greve” era proibido, o que impediu a publicação. No final, Bira teve que mudar a história para não ter que arcar com os custos da produção. Uma matéria sobre o assunto pode ser lida no Contraversão, clicando aqui.
Depois de contarem mais curiosidade da época do estúdio e relembrarem como todo o processo de produção era manual, o que incluía cores e letras, além do envio dos originais para a editora via motoboy, os convidados abriram o espaço para as perguntas da plateia. Ao finalizar, Bira Dantas tocou a sua famosa gaita.


A cerimônia manteve o seu tradicional roteiro e antes da entrega dos troféus abriu espaço para os quadrinhistas divulgarem os seus trabalhos. O jornalista Jota Silvestre elencou as 10 coisas mais importantes que aconteceram para os quadrinhos em 2012. Como o jornalista não pode estar presente, Bira Dantas fez as honras.
Aproveitando o momento, Bira também apresentou uma publicação que conta a história da caricatura no Brasil com Eduardo Vetillo que lembrou: “essa publicação é importante, pois relembra que a caricatura já fez parte da imprensa do nosso país”.
Gazy Andraus falou do Dia Nacional do Fanzine e como a data 12 de outubro deve ser lembrada. Gazy frisou a importância dos agentes culturais que fomentam o fanzinato, como o Ugra Press, Thina Curtis com a Fanzinada e Marcio Sno com o documentário de fanzines. Finalizou reforçando a importância dos fanzines para a cultura dos quadrinhos no Brasil.

Fabrizio Andriani e Franco de Rosa
Continuando a cerimônia, pelo segundo ano consecutivo, Franco de Rosa subiu ao palco para apresentar os vencedores. Os primeiros a receberem o troféu foram os representantes do evento Gibicon, que levaram o Prêmio Jayme Cortez em reconhecimento ao incentivo da cultura dos quadrinhos no País. Franco fez questão de explicar que é natural um evento ganhar o reconhecimento, e que não necessariamente precisaria ser um quadrinhista, pois o Jayme Cortez é dado para iniciativas que fomentam a produção e memória dos quadrinhos.
Na sequencia, Alexandre Silva entregou o troféu da categoria “Melhor Desenhista” para Danilo Beyruth. Como o quadrinhista não pode comparecer quem recebeu o troféu foi Sidney Gusman, editor do álbum Astronauta Magnetar. Sidney subiu ao palco por uma segunda vez para receber o troféu de “Melhor Lançamento”, também pelo álbum Astronauta – Magnetar, e deixou os presentes com uma pulguinha atrás da orelha: “me perguntam se Astronauta – Magnetar terá uma continuação. Não posso afirmar nada, só digo que as portas foram abertas.”
Jean Galvão, vencedor na categoria “Melhor Cartunista” falou da importância de ser reconhecido em um prêmio como Angelo Agostini que tem o voto aberto e popular. Esse também foi o ponto citado por Petra Leão, vencedora na categoria “Melhor Roteirista”, que afirmou ter ficado muito surpresa e feliz com o reconhecimento, e deixou um recado: “dedico esse prêmio principalmente para aqueles que disseram que eu nunca ia conseguir trabalhar com quadrinhos. Esse troféu é para vocês.” 

Sidney Gusman
Em seguida foi a vez da entrega do troféu para a categoria “Melhor Publicação Independente”, e o trio curitibano do grupo Lobo Limão subir ao palco e agradecer aos leitores que votaram na publicação que mistura o universo do RPG com quadrinhos.
Edgar Guimarães, um dos maiores vencedores da premiação na categoria “Melhor Fanzine”, fez as honras para Denilson Reis e Alex Doeppre, do coletivo Quadrante Sul, e entregou o troféu de melhor fanzine em 2012.
Para finalizar a entrega dos troféus foram anunciados os “Mestres do Quadrinho Nacional” desta edição. Marcos Maldonado ao receber o prêmio lembrou de sua época de letrista e como tudo era manual, “nós desenhávamos as letras” disse ele. Júlio Emílio Braz, autor de “Enquanto tiver vida, viverei”, infelizmente não pode comparecer a cerimônia e Jô Fevereiro recebeu o prêmio das mãos de Bira Dantas, que lembrou que Jô começou a desenhar profissionalmente aos 13 anos fazendo uma história do Drácula.

Worney de Souza
Uma surpresa nesta edição: Worney de Souza, que durante anos organizou o Angelo Agostini, e desde 2012 se afastou para cuidar de outros projetos da AQC-ESP foi lembrado e homenageado com o Troféu Voti, uma placa com a caricatura do próprio Worney segurando o Angelo Agostini nas costas. Uma merecida homenagem.
Encerrando a cerimônia, Fernando dos Santos agradeceu a presença de todos, e citou alguns agradecimentos especiais para aqueles que ajudaram a realização do prêmio nos bastidores e lembrou da confraternização que seria em seguida na Lanchonete do Memorial da América Latina.
Sem sombra de dúvidas o Troféu Angelo Agostini se renovou e manteve uma das características que mais é marcante: o clima de admiração pela história das histórias em quadrinhos no Brasil, tornando-o um evento familiar. De casa nova, a premiação ganha mais fôlego e prestígio para durar por muitos anos e se manter no posto de uma das mais importantes prêmios dos quadrinhos do Brasil. Há muito o Troféu Angelo Agostini merece esse reconhecimento.
Não deixem de confeir o nosso álbum de fotos no Facebook com mais de 80 imagens com tudo que rolou no 29º Angelo Agostini, clicando aqui.

SUPER-HERÓIS DAS HQBs- BRASÃO VERDE



  Facebook: https://www.facebook.com/linozine.apresenta?fref=ts

sábado, 2 de fevereiro de 2013

NOVO SISTEMA: CARD GAME

Bem galera, hoje venho aqui apresentar para vocês uma coleção de cards que estou bolando para os personagens do NOVO SISTEMA.
Em parte é pra situar o pessoal mais ou menos no universo e com os personagens e para fixá-los enquanto não lançamos novos capítulos. As regras para o jogar ainda estão sendo desenvolvidas, mas por enquanto, curtam uma amostra do que vem por aí.

 



DOWNLOAD: FÓTON 8

Esta é a oitava edição do maior super-herói do universo FN Comics: FÓTON, que com seus poderes relativos à luz enfrenta a crime e a injustiça na maior e mais populosa cidade do país. Desta vez: O Enigma do Porta-Aviões Voador!

Tudo roteirizado, desenhado e arte-finalizado por FABIO NATAL SANTANA E SILVA.

http://www.fncomics.xpg.com.br